quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Meu primeiro cacto

Quem cuida de plantas sabe que o mais interessante é poder observar suas fases e algumas pessoas assim como eu, não se contentam apenas em observar e registra com fotografia. Hábito que adquiri desde que percebi que estava conseguindo me relacionar bem com elas (sim, relacionar bem, porque em alguns anos atrás, consegui matar várias, hihihi). O bom desse hábito é que hoje tenho algumas de minhas primeiras plantas registradas, como já falei e mostrei (aqui), o cacto foi uma delas.

 
 
Quando ganhei, era do tamanho de uma falange do dedo médio e com o passar dos dias cresceu, ficou forte e teve brotinhos, isso sem muitos cuidados, por isso talvez que dizem que cactos são fáceis de cuidar... foram tantos brotinhos que inclusive fiz várias outros vasinhos.
 
 
Mas além de brotinhos é interessante observar suas fases, vê-los crescerem e trocá-los de vasos ao perceber que já não cabem mais na sua casinha.
 
 
Ainda não descobri o ID desse cacto, mas sei que põe flores e um frutinho vermelho.
 
 
 
E que seus brotinhos chegam a encher os vasinhos e são super fáceis de tirá-los, é só puxar com a mão mesmo, porque diferente dos outros cactos, seus espinhos não machucam tanto, também não são no estilo de pelinhos que se agarram em tudo.
 

Depois que ele encheu esse vasinho retirei todos os brotinhos e coloquei em um maior. E ficou assim...
 
 
De todos os cactos que tenho, esse é o que acho mais simples de cuidar, pois se adapta bem dentro de casa, consegue se reproduzir com pouquíssima luz, diferente dos outros, também percebo que gosta mais de água que o normal e não morre nem seca seus brotinhos como tantos que tenho aqui. Tenho um carinho todo especial por ele, afinal de contas o primeiro cacto a gente nunca esquece, né gente? Então se alguém aí sabe o ID  dele, avisa por favor.
 
 
 

  

domingo, 20 de dezembro de 2015

Joaninha de pedra para decorar

Nessa história de jardinagem eu ganhei uma terapia e um ajudante lindo, Victor, o meu filho, que se tornou um companheiro de troca de vasos e descobertas fascinantes. Geralmente quem mexe, cuida de plantas, começa querer decorar os vasos ou espaços em que elas se encontram, comigo não foi diferente e logo depois que ganhei os dois vasos de suculentas senti vontade de fazer algo pra decorar. Como morava próximo a um terreno baldio com muitas pedras e seixos, a ideia foi fazer joaninhas. A experiência foi ótima pois pude envolver o pequeno companheiro(filho lindo) em todos os passos. Pois é um projetinho tão fácil que até criança faz, o efeito é divertido e colorido.  Vale a pena usar também como atividade de férias!!!
Lá vai o passo a passo.

Primeiro você precisa sair a procura de pedras. Nós achamos várias e de formatos variados.

 
Achamos uma pedra no formato ótimo para fazer uma joaninha. Desconsiderem minha cara amassada, pelo menos eu era magra nessa época.
 
 
Depois é importante lavar a pedra, para que facilite a aderência da tinta.
 
 
Passe uma base branca de primer ou três demãos de tinta branca.
 
 
Faça uma linha com lápis para marcar a cabeça.
 
 
Se necessário passe várias demãos de tinta, até ficar do jeito que gosta.
 
 
Por último faça as pintinhas com um pincel mais fino, olhos e anteninhas caso queira. Agora você tem uma decoração colorida e divertida para suas plantas ou ate jardim. Faça com um filho, sobrinho, primo, aluno ...crianças amam mexer com tintas. Aproveite!!!
 
 
 
 
 





 
 
 

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Minhas primeiras filhas verdes

Quem me segue no instagram (aqui) sabe o quanto gosto de plantas e me relaciono bem com minhas filhas, mas no segundo post (aqui)  desse bloguito, contei que nem sempre tive intimidade com elas.
Hoje vim mostrar as minhas primeiras sobreviventes e as quais me fizeram apaixonar por essa terapia chamada jardinagem.
A primeira foi a ráfia que ganhei de uma grande amiga, por ser resistente e de pouca manutenção se reproduziu, então fiquei com vontade de ter outras plantas.

O cacto foi a segunda planta a se reproduzir, também ganhei de uma amiga. Cada brotinho que notava, sentia mais desejo de ter outras plantas.
 
Esse dois vasos ganhei da mesma pessoa, foram o despertar de um amor futuro pelas suculentas. Tratei logo de fazer uma companhia pras lindinhas, essa joaninha de pedra(assunto para o próximo post).
Para o presente ser perfeito as suculentas logo floriram, não tinha quem não se apaixonasse. Imaginem minha alegria e surpresa, pra quem antes não conseguia cultivar nem um caroço de feijão no algodão. Hihihi
 
Depois disso estava decidida que queria ter muitas plantas, passei a visitar as sementeiras e trouxe pra casa essa lindeza de hortênsia.
Comprei uma margarida, ixora, violeta e outras que com o tempo morreram, mas isso não me deixou desanimada. Estava realmente decidida a ter plantas em casa.
Pouco depois que ganhei meu primeiro cacto, ganhei essas folhinhas de suculentas que brotavam. Fiquei tão feliz de ter tido a chance de observar a propagação delas.
Essa da florzinha amarela pra minha surpresa nasceu sozinha, não sabia o nome e nem tinha nenhuma informação, e do jeito que veio, um dia foi.     :(
Essa era sua florzinha. Linda né gente? Alguém sabe o nome?
Foi uma fase ótima, por onde passava só tinha olhos para as plantas, que carinhosamente chamava e chamo de minhas filhas, para encerrar esse período ganhei esse filhotinho de ripsális(o vaso menor a esquerda) e achei na calçada essa outra muda de babosa( vaso preto do meio). Digo: "... pra encerrar esse período..." porque depois mudei dessa casa,  para a que estou hoje, aí pude ser mãe de muitas filhas pois tenho mais espaço.
 
 
 
 
 
 

sábado, 5 de dezembro de 2015

Jardinar é ...

Jardinar é criar uma relação de confiança entre você e suas filhas verdes;


é podar pra nascer mais bonito;



é esperar ansiosa pra florir;



é suspirar de alegria ao encontrar um brotinho;




 é plantar um broto e vê-lo ficar adulto;




é perceber as diferentes cores, formas e tamanhos como presente divino;




é ter um hobby, uma terapia para cuidar de si;




 é recarregar energias;




é decorar a casa, o quintal, a alma;




é molhar e vê-las mudar em poucos minutos;




é pesquisar, estudar, se informar, trocar figurinhas;




 é doar, compartilhar mudas e sentimentos; 




é descobrir-se fotógrafo;




é trazer um pouco de natureza pra sua vida;





é descobrir com as flores a leveza da vida;




é aceitar que tudo tem começo, meio e fim;




 é ser criança outra vez;




é descobrir uma profissão;




é tornar-se colecionador;





é ser mãe de filhos de espinhos e filhas de pétalas ou folhas;




Jardinar é ser feliz!




quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Como descobri a paixão pelas plantas ... senta que lá vem a história


 
Cresci numa casa com plantas...
Embora minha mãe trabalhasse fora, sempre arrumava um tempinho para cuidar das suas filhas verdinhas e decorar a casa com elas.
Confesso que até casar, não tive o desejo de cuidar de flores e muito menos de plantas. Mas alguns anos após o casamento senti vontade de decorar a casa, foi quando tentei cuidar de algumas, mas não tinha experiência. As tentativas foram frustradas, consegui matar violetas, icsorias e outras tantas, até que ganhei uma palmeira ráfia e um cacto, que sobreviveu ao sol da tarde do meu terraço, já que não tinha quintal.



Palmeira Ráfia com as mudas que consegui fazer
Arrumei um ajudante lindo



Esse do meio foi o primeiro cacto que ganhei, pouco depois deu varias mudinhas.
 
Nesse meio tempo mudei para uma casa, com um quintalzinho pequeno e ganhei um vaso com cactos e suculentas.


Fui pesquisar mais sobre elas, começou daí meu caso de amor, era ano de 2012, depois disso comecei enxergar suculentas e cactos por todos os lados que andava. Visitei sementeiras, casas, lojas, mercados, feiras de plantas e material para jardinagem ... foi quando surgiu a curiosidade de saber o nome dos gordinhas(suculentas) uma forma de ser íntima. Pronto! Aí já viu, né? Rolou sentimento, encantamento... amor, agora já estou na parte do vício! Isso mesmo, vício! Elas viciam. Hahaha! Um vício bom, saudável. Costumo dizer: São apaixonantes! Foi quando descobri que jardinar não é só regar e decorar a casa com elas.
Jardinagem é ...
(esse é assunto pra outro post)